quinta-feira, 3 de outubro de 2013




                   As crianças serão salvas ou condenadas caso morram?                 


                  Existem duas linhas teológicas sobre a questão do pecado no homem: uma diz que somos pecadores por natureza (teoria criada pelo padre Agostinho), e a outra que diz sermos pecadores por que pecamos. Eu, porém não acredito na doutrina agostiniana. Assim, não creio que alguém possa ter herdado o pecado de Adão uma vez que nas escrituras, pecado jamais é tratado como um vírus hereditário, e sim como uma transgressão das leis de Deus (1 Jo 3:4). As bases da doutrina agostiniana sobre uma natureza pecaminosa são frágeis demais para se manterem de pé diante da verdade. Imagine o velho Gepeto lançando o Pinóquio na fogueira porque o ‘menino de madeira’ não conseguiu viver como um menino de carne? Seria isso justo? Obviamente que não. O mínimo que se esperaria do Gepeto é que aplaudisse o menino Pinóquio por ele estar fazendo jus ao que foi criado: ser um boneco de madeira! Acreditar que Deus implantou o pecado no homem é blasfêmia   O pecado é uma ‘atitude’ consciente contra as leis de Deus. Não pode ser tratado como patologia, pois, se assim o fosse, Deus não poderia


     estar irado com suas criaturas pecaminosas, pois Ele mesmo as destinou a serem pecadoras. E se foi Ele quem implantou tal pecado na natureza humana não têm do que reclamar. Seria antinatural exigir santidade dos homens, uma vez que o natural foi criado para agir naturalmente.  Como Deus julgara um pecador se o tal cumpriu legalmente com sua própria natureza? Agora, para mim, Deus jamais embutiu qualquer pecado no homem, pelo contrário Ele o fez perfeito em todos os seus caminhos. Se pecamos porque somos pecadores o que dizer dos anjos que eram perfeitos e ainda assim pecaram? Pecaram, na verdade deliberadamente contra o Senhor. Não havia neles impulso pecaminoso, mas pecaram. O pecado é exatamente o mal uso de nossos impulsos naturais. Comer não é pecado, mas comer de mais é glutonaria. Fazer sexo não é pecado, desde que com o seu cônjuge. Eva não pecou por natureza, mas usou seu impulso natural  (viu que era fruto agradável para se comer -Gn3: 6) de forma egoísta, pois Deus havia dito que ela não comesse do fruto daquela árvore.  O que ela fez não o fez no intuito de pecar contra Deus e sim no intuito de satisfazer egoisticamente ao seu desejo e isso é o pecado de Gênesis a Apocalipse.  Você acha certo o pai comer uvas verdes e o dente dos filhos se embotarem? O pai faz a coisa errada e os filhos que pagam? Se a sua resposta é não, saiba Deus lhe dirá amém (leia Ez 18:1-3). Filho nenhum no mundo levará o pecado de seu pai. O Senhor diz: Eis que todas as almas são minhas; como a alma do pai, também a do filho é minha; a “alma que pecar”, essa morrerá (leia, por favor, Jr 31:29,30; Ez 18:1-32 e verá se não tenho razão). “A alma que pecar” disse Deus; caso o homem tivesse uma natureza pecaminosa Deus diria: todos vocês morrerão por que já nasceram pecadores. A única coisa que herdamos de Adão, por geração natural é a morte física, nada mais. Cada um será julgado pelos seus próprios pecados. Ninguém, naquele dia, ousara culpar Adão pelo o que quer que seja.  Até Jesus morreu. Todos morrem, mas Deus já resolveu esse problema com a ressurreição dos mortos ressuscitando  a Cristo. Agora só resta aos homens se arrependerem de seus pecados e crerem em Jesus para serem salvos e tudo o mais entrará no eixo.
         Não existe como muitos dizem: crianças ímpias. Todas são puras, pois a impiedade é pecado, e pecado é transgressão da lei e nem você nem eu jamais vimos alguma criança cometendo impiedade no ventre da mãe.   A lei não legisla sobre a natureza da massa física do homem. Ninguém é culpado por ter dois pés ou um só.  Ser alto ou baixo não é pecado. Ser filho de um ladrão não é pecado. Ser filho de uma prostituta menos ainda. O pecado é uma atitude deliberada do homem, assim sendo, quando alcançamos a idade da razão (isso varia de pessoa para pessoa) escolhemos deliberadamente, ou não, seguirmos o caminho que Eva seguiu, preferindo saciar seu desejo mesmo que ele fosse proibido. É assim com todo mundo. A palavra ‘pecado’ é só um termo usado nas escrituras para denotar culpa consciente, nada mais. Veja que para sermos salvos temos que dar a razão a Deus, pois estamos sendo réus confessos diante Dele quando dizemos: eu pequei Senhor. A graça para ser imerecida precisa estar totalmente dentro do contexto da própria graça. Olhar para o Pinóquio e perdoá-lo por não ter se tornado um homem de verdade, não é graça e sim obrigação do Gepeto, ou você discorda? Se Deus nos tornou pecadores por natureza perdoar-nos não seria  graça, mas sim obrigação, pois seria impossível esperar de nós algo antinatural. Agora, a graça de Deus é graça exatamente por que Ele sabe que nós poderíamos ter tomado as decisões certas, mas não tomamos. Poderíamos ter obedecido, mas não obedecemos. Deveríamos ter escolhido a sua proposta de vida e não fizemos (Ex11: 26-28; 30:15-20). Só é graça porque Deus se propôs a nos dar uma chance mesmo nós sabendo que não merecíamos.

         Somos alma vivente. Somos frutos de uma junção cultural. Somos produto do meio em que vivemos. Olhamos, aprendemos e praticamos, simples assim. Se nos isolarem numa sala durante toda vida, não saberemos nem falar. Não haverá, em nós informações para serem associadas e praticadas. Vegetaremos e morreremos devido a não exposição com outros seres vivos. Você  é exatamente as informações que reteve. 2+2 é quatro por que nos ensinaram. Nossos pais pecaram  e crescemos recebendo informações distorcidas da vida, como disse Davi: ...em pecado me concebeu minha mãe, em pecado fui gerado...(SL 51:5) Ele não disse: pecador nasci, mas “minha mãe era pecadora quando me gerou” ,  ele estava simplesmente declarando que não poderia se esperar justiça de alguém que cresceu em um lar de pecadores. 

         Para finalizar declaro que não existem crianças pecadoras. Elas, em sua ternura e inocência deveriam ser para nós  um modelo a ser alcançado e não vítimas de nossa ignorância teológica. Você sabe que os anjos do Senhor acampam-se ao redor dos que O temem? É por isso que Jesus disse que os anjos estão ao redor de cada criança (Mt18: 10). Elas é que são puras por que Deus as fez assim (Ec 7: 29). Delas procede o perfeito louvor (Mt 21:16). Delas é o reino dos céus (Mt19:14), e se quisermos entrar no céu , devemos ser como elas (Mt 18:3). Quer ver a imagem e a semelhança de Deus na terra? Olhe para uma criança e terás teu anseio suprido.



       Em Jesus, o amigo das crianças...


     Pr. Alexandre Nascimento



5 comentários:

  1. Olá pastor a paz de Cristo.

    Não sou pastor nem teólogo, Posso estar errado, mas vou discordar do senhor.

    Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que TODOS PECARAM
    Romanos 5:12

    E quanto a Romanos 3.23 e 1 João 1:8? o senhor pode me explicar?

    Porque TODOS pecaram e destituídos estão da glória de Deus.

    Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós.

    Claro que as crianças não afirmam que estão sem pecado, mas o senhor pode afirmar que elas não têm?

    Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; Atos 17:30

    Além do mais Deus não leva em conta os tempos da ignorância. Acredito que as crianças se encaixam nesta passagem, pois ainda não tem consciência do pecado e Deus sabe disso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paz, amado irmão!
      (PARTE 1) (PARTE 1) - Meu irmão, em primeiro lugar precisamos saber que toda discordância deve ter um ponto de vista tal que refute a colocação discordada. Refute primeiro o que eu expus e ai sim dará crédito ao seu ponto de vista, caso contrário fica um ar de “não concordo por que não quero concordar”, entende? Ou eu tenho argumentos contrários que demonstram mais coerência do que o ponto de vista discordado ou então é melhor não dizer nada para não ficar uma crítica sem fundamentos. Mas vamos lá para as suas perguntas:
      1. Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que TODOS PECARAM - Rm 5:12
      R: Analisemos o verso ponto a ponto:
      1) “Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo...” – Esta patente que Adão e Eva foram os primeiros a abrirem as portas deste mundo para o pecado. Qual foi o pecado deles? Desobediência!
      ... “e pelo pecado a morte ...” – O pecado receberia de Deus um salário, pois Deus disse a eles: “ ... da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás (Gn 2:17)”. Após o ato de desobediência o Senhor declarou : “ No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado; porquanto és pó e em pó te tornarás (Gn 3:19). Note que não há nenhuma referencia nas escrituras de que Deus tenha transformado em maligna a natureza de Adão e Eva, muito pelo contrário, pois Deus é contra o pecado e o mal. Como ele mudaria a substancia natural do homem em pecado se Ele próprio deseja a santidade irrestrita de todos nós? “ Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação. Portanto, quem despreza isto não despreza ao homem, mas sim a Deus, que nos deu também o seu Espírito Santo (1 Ts 4:7-8). Se Deus mudou a natureza do homem, porque ele se queixa dos resultados de tal imposição divina? Não estaria o homem fazendo aquilo pelo qual foi transformado? Não estaria atingindo seu objetivo natural? Se todos nós temos uma natureza pecaminosa não existiria a graça, pois graça é algo imerecido. Assim a graça não seria imerecida, seria obrigatória, pois se Deus exige a santidade de pessoas que ele mesmo transformou em pecadoras, além de loucura, Ele mesmo saberia que, caso não as transforme novamente em homens na essência e livres para decidirem entre o certo e o errado, jamais os mesmos conseguiriam fazê-lo, pois o pecado lhes é peculiarmente natural e a única opção. Uma arvore má não dá bons frutos. A graça só é graça se os que a recebem reconhecem que optaram em errar em vez de acertar. O perdão só é verdadeiro perdão, caso os rebeldes reconheçam suas culpas e busquem o perdão imerecido. É simples a questão: Deus só pode exigir aquilo que é possível ao homem, pois caso ele exija o impossível, terá obrigação de conceder a capacidade para que o alvo seja atingido. Deus só pode exigir que nós voemos se Ele nos der asas. Se ele exige santidade é porque o pecado é uma opção. O filho não herda a culpa do pai e por isso não precisa pecar como o pai, inclusive havia um ditado em Israel que o próprio Senhor ordenou que fosse erradicado do meio do povo por ser falso e incoerente: Que tendes vós, vós que, acerca da terra de Israel, proferis este provérbio, dizendo: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos é que se embotaram? Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR Deus, jamais direis este provérbio em Israel. Eis que todas as almas são minhas; como a alma do pai, também a alma do filho é minha; a alma que pecar, essa morrerá.(Ez 18:04). Em Jeremias também vemos a reprovação divina deste conceito: Naqueles dias, já não dirão: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos é que se embotaram. Cada um, porém, será morto pela sua iniqüidade; de todo homem que comer uvas verdes os dentes se embotarão (Jr 31:29-30). CONTINUA->

      Eliminar
    2. (PARTE 2) Continuando a questão: “ ... se ele gerar um filho que veja todos os pecados que seu pai fez, e, vendo-os, não cometer coisas semelhantes... fizer os meus juízos e andar nos meus estatutos, o tal não morrerá pela iniqüidade de seu pai; certamente, viverá. Quanto a seu pai, porque praticou extorsão, roubou os bens do próximo e fez o que não era bom no meio de seu povo, eis que ele morrerá por causa de sua iniqüidade. Mas dizeis: Por que não leva o filho a iniqüidade do pai? Porque o filho fez o que era reto e justo, e guardou todos os meus estatutos, e os praticou, por isso, certamente, viverá. A ALMA QUE PECAR, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai, a iniqüidade do filho; a justiça do justo ficará sobre ele, e a perversidade do perverso cairá sobre este ( Ez 18:17-20). Que sentido teria esse verso caso todos nascessem pecadores? Não haveria tais contrastes e o provérbio do povo estaria correto.
      Toda a bíblia denota a proposta divina ao homem de escolher o certo em vez do errado, caso contrário tais textos não existiriam, pois todos os homens seriam incapazes de optarem fazer o bem devido suas naturezas. A capacidade natural do homem em fazer o bem é uma prova de que ele não é mal em essência. Porque Deus diria: “Eis que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição; A bênção, quando cumprirdes os mandamentos do Senhor vosso Deus, que hoje vos mando; Porém a maldição, se não cumprirdes os mandamentos do Senhor vosso Deus...(Dt 11:26-28) ; “ Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar. (Gn 4:7). O “se” nos versos denotam uma conjunção condicional ( condição de; caso...)
      Porque Deus faria uma proposta semelhante ao povo de Israel como fez a Adão se todos os judeus já estivessem sentenciados a morte eterna herdada por Adão: “ Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência,
      (Dt 30:19). Por que Deus cometeria tal incoerência exigindo algo naturalmente impossível ao seu povo: “ Porquanto te ordeno hoje que ames ao Senhor teu Deus, que andes nos seus caminhos, e que guardes os seus mandamentos, e os seus estatutos, e os seus juízos, para que vivas, e te multipliques, e o Senhor teu Deus te abençoe na terra a qual entras a possuir. Porém se o teu coração se desviar, e não quiseres dar ouvidos, e fores seduzido para te inclinares a outros deuses, e os servires, Então eu vos declaro hoje que, certamente, perecereis.” ( Dt 30:16-18 ). Note que os verbos ‘desviar’ e ‘querer’ nos versos denotam capacidade natural de decisão entre o certo e o errado, caso contrario não teriam sentido. Continua ->

      Eliminar
    3. (PARTE 3) 2.“...assim também a morte passou a todos os homens...” – O texto está claro quanto ao que foi transmitido por geração natural a todos nós: a morte física!
      “...por isso que todos pecaram...” Este trecho não fala nada sobre termos nascido pecadores, pelo contrário, ele diz que por causa do fator morte, todos os homens “PECARAM” (verbo que denota atitude e não essência). Obviamente se pecaram é porque transgrediram algum mandamento do Senhor. Pecado é transgressão deliberada e não fatalidade biológica ou espiritual. Se todos os homens pecaram em Adão, todos, na mesma proporção estão justificados em Cristo coisa que sabemos que não é verdade: “ Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida.” (Rm 5:18). ‘O pecado reinou pela morte’... Se Adão que era fisicamente perfeito pecou imagine nós que estamos enfraquecidos na carne por causa da morte. Tal fraqueza não é moral, mas física, pois até Jesus tinha essas mesmas fraquezas(Hb4:15). Se os anjos que eram perfeitos pecaram sem que houvesse nenhuma fraqueza em suas constituições, quanto mais nós que estamos enfraquecidos pela morte? A morte gera no homem o medo e a ansiedade, e estes fatores nos tornam infinitamente mais vulneráveis as tentações do Diabo e ao pecado do que qualquer outro ser: “Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida (Hb2:14,15). Em suma : Devido o processo de morte física, fica compreensivo que a mente do homem, que se manifesta e age por meio do corpo, e depende dele, foi tremendamente afetada e enfraquecida (2 Cor 4:16).
      E quanto a Romanos 3.23 e 1 João 1:8? O senhor pode me explicar?
      R: “ Porque TODOS pecaram e destituídos estão da glória de Deus.”(Rm 3:23) Esse só mostra que todos ‘pecaram’ ou ‘transgrediram deliberadamente os mandamentos divinos’, só isso, não fala sobre natureza pecaminosa. A partir da idade da razão ou da responsabilidade todos acabam optando por atitudes egoístas, daí tornam-se pecadores ou escravos do pecado. A idade da razão é clara nas escrituras: “ Ele comerá manteiga e mel quando souber desprezar o mal e escolher o bem. Na verdade, antes que este menino saiba desprezar o mal e escolher o bem... ( Is7:15,16 ) CONTINUA->

      Eliminar
    4. PARTE FINAL- “ Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós.” (1Jo1:8). Esse texto é o mais simples de todos, pois o contexto traz a chave interpretativa. Eu lhe respondo com uma pergunta: Você está em comunhão com Deus? Se sua resposta for afirmativa então como você interpretaria os dois versículos que antecedem ao texto baseando-se pelo próprio verso 8? “Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas(pecado), mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado (1 Jo 1:6-7). Ou você está na luz ou nas trevas, disse João. Auto afirmar que está em pecado é assumir que está nas trevas e que não tem comunhão com Deus e os irmãos. Como disse John Wesley sobre esse texto : { (1) que o décimo verso fixa o sentido do oitavo: "Se nós dizemos que não temos pecado"; sendo explicado por: "Se dissermos que não pecamos", no último verso. [I João 1:10]; (2) que o ponto, a se considerar, no momento, não é se tivemos ou não pecado antes; nem esses versos afirmam que pecamos, ou cometemos pecado agora. (3) Que o nono verso explica tanto o oitavo quanto o décimo: "Se confessarmos nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar, e nos limpar de toda iniqüidade". Como se ele tivesse dito: "Eu afirmei antes que 'o sangue de Jesus Cristo nos limpou de todo pecado'; mas que nenhum homem diga, eu não preciso; eu não tenho pecado para ser limpo. Se nós dissermos que não temos pecado, que não pecamos, enganamos a nós mesmos, e fazemos de Deus um mentiroso: Mas, se confessarmos nossos pecados, Ele é fiel e justo, não apenas para 'perdoar nossos pecados', mas também para 'nos limpar de toda iniqüidade': [I Jo 1:8-10] para que possamos 'seguir e não pecarmos mais'" [João 8:11]. João, portanto, é bem consistente consigo mesmo, assim como com os outros escritores santos; como mais evidentemente aparecerá, se colocarmos todas as suas afirmações no tocante a este assunto em uma visão: Ele declara (1) que o sangue de Jesus Cristo nos limpou de todos os pecados; (2) que nenhum homem pode dizer, eu não pequei; eu não tenho pecado para ser limpo (3), mas Deus está pronto para perdoar tanto nossos pecados passados, quanto para nos salvar deles para o tempo vindouro. [I Jo 1:7-10].} ( Extraído do livro : Perfeição Cristã- John Wesley )
      Além desta questão explicação clara dada Wesley todo o livro de 1João comprova que o homem não pode andar em pecado todos os dias caso seja filho de Deus : “ E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro. (3:3); Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei. E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado. Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu. Filhinhos, ninguém vos engane. Quem pratica justiça é justo, assim como ele é justo. Quem comete o pecado é do diabo, porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo. Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus.(I Jo :3:3-9)”
      Claro que as crianças não afirmam que estão sem pecado, mas o senhor pode afirmar que elas não têm?
      R: Baseado nas escrituras e no eu já havia dito no post do blog posso afirmar que sim, elas não tem pecado até atingirem a idade da razão (isso varia muito de uma pessoa para outra).
      Deus lhe abençoe!

      Eliminar